Home » Blog » Uma ereção depende de muitos fatores, acompanhe:

Uma ereção depende de muitos fatores, acompanhe:

Uma ereção depende de muitos fatores – tanto psicológicos – desejo sexual, o desejo de ter uma mulher, e fisiológico – dureza suficiente do pênis ao encher os corpos cavernosos masculinos de sangue. Além disso, se o desejo sexual é reduzido, o homem é menos vulnerável do que com ereção insuficiente durante a relação sexual.

Entre as causas da natureza orgânica que interferem com o suprimento normal de sangue para os genitais para alcançar uma ereção completa, destacam-se três principais:

fator hormonal (violação da síntese de hormônios ou a percepção de sinais hormonais);

distúrbios neurogênicos (associados a distúrbios de sensibilidade);

fator vascular (problemas vasculares que impedem o pênis de se encher de sangue).

O desequilíbrio hormonal é uma das principais causas de disfunção erétil. Deficiência de testosterona e andrógenos, a predominância do estrogênio leva a uma diminuição do desejo sexual.

É a redução do desejo sexual à medida que a idade aumenta – o primeiro dos sinais de deficiência de testosterona e, neste caso, o tratamento da impotência masculina é indicado por um especialista com base nos resultados de testes relevantes.

Disfunções cerebrais associadas a processos neoplásicos, distúrbios de inervação como resultado de patologias de discos intervertebrais, corpos vertebrais, raízes ou nervos periféricos na região lombar e sacro podem levar à disfunção erétil. Epilepsia, esclerose múltipla, lesões na cabeça e medula espinhal e doença de Alzheimer também são causas comuns de diminuição da função sexual em homens de meia-idade e idosos.

Lesões vasculares de origem aterosclerótica, hipertensão ou infarto do miocárdio com insuficiência circulatória levam ao suprimento sanguíneo prejudicado para os órgãos pélvicos e problemas com a potência. O estreitamento do lúmen das artérias que levam o sangue ao pênis, também causa disfunção sexual, progredindo à medida que envelhecem.

Outras patologias que precisam ser levadas em conta no tratamento do “problema masculino” – impotência incluem adenoma e câncer de próstata, diabetes mellitus com lesões progressivas de pequenos vasos, além de lesão hepática (cirrose, hepatite), esclerodermia. Os problemas também se desenvolvem como resultado de intervenções cirúrgicas nas regiões da próstata, cérebro ou coluna vertebral, bem como várias manipulações nas regiões pélvica e abdominal, na área da bexiga.

Vale ressaltar os efeitos colaterais e o impacto negativo na potência de tomar certos medicamentos – antidepressivos, anti-hipertensivos, anti-úlcera ou inibidores da alfa-redutase, anti-hiperlipidêmicos e antipsicóticos. Se, no contexto do tratamento medicamentoso, tiver ocorrido disfunção erétil, você precisará consultar um médico para correção do esquema.